Tradição: Comerciantes da Praça do Peixe seguem confiantes para as vendas do pescado

Segundo a comerciante Socorro Antunes, os fornecedores não estão fornecendo os peixes em grande quantidade com medo, por causa da pandemia. (Foto: Reprodução / TV Grande Rio)

A quaresma começou na última quarta-feira (17) e traz esperança para as peixarias que, assim como quase todos os setores da economia, vivem a crise de consumo causada pela pandemia de Covid-19. Em Petrolina (PE), os comerciantes da Praça do Peixe seguem confiantes com aumento na venda dos pescados. Como tradição católica, muitos religiosos costumam não comer carne vermelha, dando preferência ao consumo de peixes.

Na manhã desta Quinta Santa (1°/4), o Nossa Voz foi ver de perto a movimentação na Praça do Peixe e conferir os preços. Entre as espécies mais procuradas está o Tambaqui, no valor mais barato, comercializado a R$ 22 por quilo.

Confira a cotação

  • Surubim – R$ 35,00
  • Pial – R$ 30,00
  • Tilápia – R$ 25,00
  • Tambaqui – R$ 22,00

A comerciante Socorro Antunes mantém confiança nas vendas. “O movimento não está como o ano passado, mas as pessoas estão chegando, a movimentação está tranquila. O bom é que todo mundo está respeitando os protocolos, os horários e o distanciamento social”, contou.

Compartilhe:

Ouça nosso podcast: