Sicredi Vale do São Francisco divulga pesquisa destacando impacto das cooperativas de crédito na economia nacional

(Foto: Divulgação)

O cooperativismo de crédito incrementa o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos municípios em 5,6%, cria 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumenta o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%, estimulando o empreendedorismo local. Essas foram as principais conclusões da pesquisa ‘Benefícios Econômicos do Cooperativismo de Crédito na Economia Brasileira’, realizada pelo Sistema Sicredi em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Os resultados do estudo inédito, que avaliou dados econômicos de todas as cidades brasileiras com e sem cooperativas de crédito entre 1994 e 2017, e cruzou informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foram recebidos com entusiasmo  pelo Sicredi Vale do São Francisco. “Os principais municípios cobertos por nossa cooperativa de crédito (Petrolina – PE, Juazeiro e Senhor do Bonfim, na Bahia) estão entre os 1,4 mil cidades que obtiveram bom desempenho econômico durante o período da pesquisa”, ressaltou o presidente do Conselho de Administração da entidade, Antônio Vinícius Ramalho Leite.

A pesquisa, que utilizou a metodologia de Diferenças-em-Diferenças, principal método científico para avaliações de impacto de políticas públicas no mundo, também revela um impacto agregado nessas cidades de mais de R$ 48 bilhões em um ano. Ainda segundo o estudo, as cooperativas de crédito foram responsáveis pela criação de 79 mil novas empresas e pela geração de 278 mil empregos.

De acordo com Antônio Vinícius, esse bom desempenho pode ser explicado principalmente pela oferta de crédito com taxas de juros mais baixas e a participação dos associados nas decisões da cooperativa. “O Sicredi Vale do São Francisco vem obtendo um dos melhores desempenhos entre as 108 unidades do Sistema Sicredi em todo País. Com a perspectiva de chegar a R$ 500 milhões de ativos totais em 2023, vamos trabalhar para obtenção de sobras da ordem de R$ 15 milhões e uma carteira de crédito de R$ 150 milhões, além de chegar em 2024 com 9 mil associados”, estimou.

Segundo o Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito (Woccu 2018), o cooperativismo de crédito está presente hoje em 118 países reunindo mais de 274 milhões de associados e ultrapassando a marca dos US$ 2,19 trilhões em ativos. No Brasil, de acordo com o Banco Central, o cooperativismo de crédito está presente em 47% dos municípios e representa 2,7% dos ativos totais do Sistema Financeiro Nacional.

Compartilhe:

Ouça nosso podcast: