Codevasf investiu aproximadamente R$ 350 milhões em Pernambuco em 2020

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), por meio da 3ª Superintendência Regional, sediada em Petrolina (PE), beneficiou ao longo de 2020 mais de 60 municípios pernambucanos, que somam população de quase 2,5 milhões de pessoas. Ao todo foram investidos cerca de R$ 350 milhões, com recursos de programas do governo federal e do Orçamento Geral da União (OGU) repassados à empresa por meio de emendas parlamentares. Esse valor foi empregado em ações de fortalecimento da agricultura familiar, abastecimento de água, recuperação da bacia do Rio São Francisco e melhorias na infraestrutura urbana e rural, entre outras. 

Dados da Embrapa indicam que a agricultura familiar está presente em quase 85% das propriedades rurais do país. Cerca de metade desse percentual está concentrada na região nordestina, responsável por aproximadamente um terço da produção total. A Codevasf tem investido no fortalecimento da atividade em Pernambuco: quase seis mil equipamentos e maquinários foram entregues a comunidades, associações e prefeituras do estado com esse objetivo. Dentre esses equipamentos, destacam-se 124 tratores, 32 retroescavadeiras, 128 ensiladeiras, 63 sulcadores e mais de 300 kits de irrigação. 

No tocante a Arranjos Produtivos Locais, a Codevasf investiu mais de R$ 3 milhões em ações como entrega de caminhão para apoio a beneficiamento de frutas e produção de polpas, aquisição de equipamentos apícolas e elaboração de projeto de abatedouro de aves. De acordo com o chefe de desenvolvimento territorial da Codevasf em Pernambuco, Wellington Dias, em 2020 a Companhia entregou 12 kits apícolas, por exemplo, aos criadores de Triunfo, e outros estão garantidos para os próximos meses. “Entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, nós recebemos 300 novos kits de apicultura e estamos iniciando as tramitações. Em breve eles estarão com os apicultores do nosso estado”, diz. 

A Codevasf também tem realizado ações voltadas ao desenvolvimento da caprinovinocultura, por intermédio da Rota do Cordeiro. Em Dormentes, foi construído um dos mais modernos abatedouros frigoríficos de caprinos e ovinos do interior do estado. Para esse mesmo abatedouro, concluído em 2020, a Codevasf adquiriu um caminhão para transporte de animais e outros equipamentos. O município de Floresta também receberá um abatedouro frigorífico especializado em caprinos e ovinos — a obra deverá ter início em 2021. Ao todo, a Codevasf está investindo mais de R$ 8 milhões na estruturação da atividade em Pernambuco.  

Revitalização  

Mais de 365 mil pernambucanos estão sendo ou serão beneficiados com obras de revitalização da Bacia do Rio São Francisco realizadas pela Codevasf no estado. A segunda etapa do sistema de abastecimento de água das comunidades rurais de Serrote, Fazenda Maga e Bebedouro, no município de Santa Maria da Boa Vista, foi finalizada em 2020 e está em fase de entrega. Estão em implantação os sistemas de abastecimento das comunidades de Uruburanas, Riacho da Madeira, Ilha da Vila, Assentamento Alegre, Assentamento da Boa Paz e Assentamento Bom Jesus, em Orocó, e a segunda etapa dos sistemas de abastecimento das comunidades de Caraíbas, Vila Vitória I e II e Barra do Jacaré, no município de Santa Maria. A terceira etapa dos sistemas de abastecimento das comunidades de Nova Descoberta e Mansueto de Lavor, em Petrolina, terá início em 2021. Também estão em implantação obras de esgotamento sanitário nos municípios de Floresta, Afogados da Ingazeira, Cedro, Granito, Petrolândia e perímetro Nilo Coelho, em Petrolina. 

O gerente da área de revitalização das bacias hidrográficas da Codevasf em Pernambuco, Maxwell Tavares, explica que a Companhia tem investido para melhorar tanto a qualidade da água do Rio São Francisco quanto a qualidade de vida dos ribeirinhos. “Foram investidos mais de R$ 8 milhões apenas com esgotamento sanitário e abastecimento de água em 2020. Também é importante cuidar da vida no rio: o nosso Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Bebedouro produziu, em 2020, quase três milhões de alevinos de espécies nativas do nosso rio”, diz.  “Além disso, 46 associações foram beneficiadas com a entrega desses alevinos para povoamento de pequenos açudes. Por fim, realizamos sete peixamentos diretamente no rio, uma ação importante que visa ao fortalecimento da vida de espécies nativas e também à conscientização da necessidade de preservação desses seres para o equilíbrio ecológico do Velho Chico”, acrescenta Tavares. 

Pavimentação 

Ao longo de 2020, a Codevasf investiu R$ 90 milhões em mobilidade urbana no estado, em intervenções de pavimentação asfáltica e em paralelepípedo, e também em recapeamento de vias. Ao todo, mais de 800 mil metros quadrados de vias foram pavimentadas ou recapeadas pela Companhia em Pernambuco. 

Na avaliação do superintendente regional, Aurivalter Cordeiro, além de melhorar a vida das pessoas, essas obras geraram emprego em um ano difícil para a população. “Nós pavimentamos quase 300 mil metros quadrados de ruas com paralelepípedo. É um tipo de obra que, além do resultado em si, gera muitos empregos nas pedreiras locais e também para os moradores da região, que normalmente são contratados para esses serviços”, explica. 

De acordo com Aroldo Pereira, comerciante e morador de Petrolina, ver as ruas asfaltadas aumenta a autoestima da população. “Por muito tempo nos acostumamos a andar nessas ruas cobertas de terra. Quando chovia, cheias de lama. Hoje nos sentimos até mais motivados ao sair de casa e ver que na frente da nossa loja, da nossa casa, tem asfalto no lugar da terra e da poeira”, diz.  

Perfuração de poços

 Outra ação de destaque na atuação da Companhia em Pernambuco durante o ano de 2020 foi a de perfuração e instalação de poços. Foram quase mil poços perfurados. Além disso, 270 poços, que já estavam perfurados, foram instalados. Lourival Nascimento conta que, com a água do poço instalado em sua comunidade os animais podem matar a sede e ele tem produzido frutas e hortaliças para a família. “Hoje já produzo pra mim. Maracujá, banana, manga, abóbora e até cana-de-açúcar. No futuro eu imagino que posso expandir e conseguir até vender parte da nossa produção para incrementar a renda da família”, conta.

Compartilhe:

Ouça nosso podcast: