UPAE/IMIP de Petrolina alerta sobre o impacto da pandemia na vida de pacientes diabéticos

(Imagem: Divulgação)

O Dia Mundial do Diabetes foi lembrado no último sábado (14). A data tem como objetivo conscientizar a sociedade e reforçar sobre a importância da prevenção e tratamento da doença, que atinge 16 milhões de brasileiros, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). A pandemia da Covid-19 tem tornado o desafio de controlar a doença ainda maior.

Em função desse cenário de incertezas, a população precisou se adaptar a diversas situações que antes não faziam parte da rotina. A pandemia impactou diretamente os pacientes diabéticos, pois tiveram seus hábitos alterados no que diz respeito ao padrão de alimentação, à restrição de atividades físicas e ao monitoramento da doença (aferição da glicose e consultas médicas).

Já é sabido que pacientes diabéticos correm um risco maior de agravamento da Covid-19 do que uma pessoa saudável. O risco aumenta ainda mais se o paciente tiver outros problemas como hipertensão, obesidade ou doença cardiovascular. Por isso, é preciso redobrar os cuidados com a saúde.

O endocrinologista do IMIP, Érico Higino, enfatiza que a adoção de medidas para uma vida saudável é a melhor forma de prevenção. “É importante seguir uma dieta balanceada para ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue, o colesterol, a pressão arterial e o peso, que são fatores de risco. A alimentação aliada à pratica de atividades físicas resultam em pressão arterial equilibrada, melhoram os níveis de lipídeos no sangue e a saúde dos vasos sanguíneos

A recomendação é controlar a doença, por meio da alimentação e das medicações usadas de forma adequada. “A chance de complicação é menor quando o paciente diabético está bem controlado”, concluiu. Segundo o médico, o paciente deve monitorar os níveis de glicose no sangue e manter contato com o médico.

Compartilhe:

Ouça nosso podcast: