Violência financeira contra a pessoa idosa quase triplica em um ano

0
17
(foto: reprodução)

Com a proximidade do recebimento da 1º parcela do 13º salário, no final do mês de novembro, que a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), por meio do Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência Contra a Pessoa Idosa  (CIAPPI), alerta a população que o dinheiro da pessoa idosa deve ser utilizado pela pessoa idosa e/ou para benefícios da pessoa idosa. Só neste ano, de janeiro a outubro, o CIAPPI já recebeu 577 denúncias de violência financeira contra esta população, um aumento de 422 casos comparado ao mesmo período do ano de 2018.

A maioria das vítimas deste tipo de violação são agredidas pelos membros da própria família. Segundo levantamento de 2019, feito pelo programa, dos 577 violentados, 94,11% (543) sofreram com este tipo de crime no ambiente intrafamiliar, já 5,89% (34), no âmbito extrafamiliar. Ainda de acordo com as informações levantadas, as pessoas idosas que mais passam por essas violações têm a faixa etária de 80 anos, em primeiro lugar, seguido de 70 anos e 75 anos. As mulheres aparecem à frente sendo as maiores vítimas 70,36%, já os homens são 29,64%.

De acordo com o Secretário de Justiça, Pedro Eurico, é importante que pessoas próximas às pessoas idosas fiquem atentas e denunciem caso desconfiem de qualquer irregularidade. “Um vizinho, um enfermeiro, um médico, um amigo, qualquer um que desconfie que o idoso está sofrendo algum tipo de violação tem o dever de alertar às autoridades competentes” reforça.

O CIAPPI informa que reter recursos da pessoa idosa para uso próprio, pela família ou vizinhos, e a realização de empréstimos sem autorização, constitui crime com pena prevista pelo Estatuto do Idoso. O dinheiro deve ser usado para gastos com remédios, vestuário, alimentação e lazer, para a pessoa idosa.