UPAE/IMIP de Petrolina alerta sobre o perigo do álcool e outras drogas para a saúde

(Foto: Reprodução)

O mês de fevereiro abraça duas datas importantes ligadas à saúde: a Semana Nacional contra o Alcoolismo (de 13 a 19 de fevereiro) e o Dia de Combate às Drogas e ao Alcoolismo (20). Por isso, a Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/IMIP) vem a público novamente falar sobre esse problema que gera grande prejuízos à saúde, além dos transtornos psicossociais.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera doença a dependência em drogas lícitas ou ilícitas. O uso indevido de substâncias como álcool, cigarro, crack e cocaína é um problema de saúde pública de ordem internacional que preocupa nações do mundo inteiro, pois afeta valores culturais, sociais, econômicos e políticos. 

Dados do Ministério da Saúde mostram que o hábito de consumir excessivamente bebidas alcoólicas não param de crescer no Brasil. Segundo a avaliação, os brasileiros estão entre os que bebem demais. Beber demasiadamente líquidos com teor alcoólico é prejudicial em vários aspectos. Além dos danos à saúde, o álcool é responsável por grande parte dos acidentes de trânsito, segundo o Detran. O alcoolismo, muitas vezes, é responsável por destruir famílias e a vida social de quem bebe.

O álcool é também um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de diversas doenças. O uso constante pode provocar danos irreversíveis no sistema nervoso, levando à demência, diminuição da sensibilidade e da força muscular nas pernas.

Outras possíveis consequências são: no estômago, pode ocasionar gastrites e úlceras; no fígado, pode desencadear hepatites, acúmulo de gordura e cirrose; no pâncreas, gera pancreatite; e no sistema circulatório, aumenta o risco de miocardites, pressão alta, acidentes vasculares cerebrais e aterosclerose (acúmulo de placas de gordura nos vasos sanguíneos). O álcool tem relação com o desenvolvimento de câncer no trato intestinal, na bexiga, próstata e outros órgãos.

Reconhecer que se é dependente do álcool e/ou outras drogas pode mudar a situação. A família e/ou o dependente deve procurar a rede assistencial de saúde, um psicólogo ou psiquiatra, para avaliar as possibilidades de tratamento. Em Petrolina, por exemplo, existe o CAPS AD (Álcool e Outras Drogas), que é referência para esse tipo de atendimento e toda a rede de saúde atua em parceria, oferecendo assistência integral aos pacientes dependentes. Informe-se pelo telefone (87) 3862-3677.

Compartilhe:

Ouça nosso podcast: