Prefeitura discute plano de reestruturação da Central de Serviço e Apoio à Agricultura Familiar de Juazeiro

Foto: Divulgação

Reativado, mas sobrevivendo muito aquém da sua capacidade necessária, o Banco de Alimentos do município de Juazeiro, que funciona na Central de Serviço e Apoio à Agricultura Familiar (CESAF), está com o espaço subaproveitado e necessita de uma reestruturação para um melhor aproveitamento das ações do programa.

Lotado na Agência de Desenvolvimento Econômico Agricultura e Pecuária (ADEAP), em parceria com a Autarquia Municipal de Abastecimento (AMA) e a Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES), o projeto beneficia, semanalmente, cerca de 3.100 famílias. Voltado para o combate à fome e o desperdício de alimentos, tem como missão distribuir o excedente às entidades cadastradas junto à SEDES, alcançando pessoas em vulnerabilidade social e pequenos produtores. 

Intersetorialidade

Para debater sobre o equipamento, os secretários das pastas reuniram-se no último final de semana com Ataildes Pinheiro, tecnóloga de alimentos e coordenadora do CESAF. O encontro teve a missão de identificar os gargalos de cada secretaria, e juntamente à prefeita Suzana Ramos, exponencializar ações rápidas e eficazes para o bom funcionamento do banco.

Para Ataildes, o programa é uma grande política de ação social que conquistou avanços, mas que necessita de um olhar solidário para não estagnar. “Em dezembro a gente encerrou com 3.100 famílias beneficiadas. Se vocês forem ver a estrutura que está o Banco de Alimentos, não existe estrutura e a gente tá fazendo um trabalho com poucas pessoas. Nessa logística, a gente avançou muito. É um trabalho grandioso. Precisamos ajustar o caminhar, porque essas famílias estão aguardando essa doação. A fome não espera”, conta. 

Princípios

Seja através do social ou do econômico, o equipamento dispõe de um dos princípios da prefeita Suzana Ramos, que é cuidar das pessoas. 

“Se tem um setor que promove a intersetorialidade de cumprir a missão da prefeita, esse aqui é um deles. Ela tem essa coisa do acolher, ajudar. Esse equipamento vem sobrevivendo pela luta dos servidores, mas ele não funciona com 10% do que ele deve ser. O CESAF é o governo Suzana Ramos. Nós vamos fazer disso daqui uma coisa muito maior, vocês vão ouvir falar muito sobre CEASAF”, diz Carlos Neiva.

Compartilhe:

Ouça nosso podcast: