Ouvinte denuncia falta de estrutura do Mercado do Produtor e cobra intervenção da Prefeitura de Juazeiro

Mercado do Produtor de Juazeiro (BA). (Foto:Reprodução)

Marca registrada, o abandono. Sonho da população juazeirense, ver o Mercado do Produtor bem estruturado, mais bonito, organizado e sem sombra de dúvidas, em um local mais amplo, afinal de contas, o entreposto é cartão postal de entrada da cidade.

O lixo que é acumulado naquele local, traz um cenário que há anos a população baiana vem reclamando; o entreposto aparenta ser na realidade, um depósito a céu aberto onde muitas pessoas que do lixo retiram seu sustento, disputam o espaço com permissionários e usuários.

O programa Nossa Voz desta quinta-feira (11), recebeu reclamação de moradores relatando a degradação do local. Eles chamam atenção da Prefeitura da cidade para a falta de infraestrutura no Mercado do Produtor, as más condições de trabalho e o sonho de um novo espaço mais amplo. “Cadê o projeto de relocação? Promessa de várias gestões anteriores, aqui falta higiene e melhores condições de trabalho para os comerciantes; o acúmulo de lixo nem se fala”, desabafa um ouvinte que não quis se identificar.

Para esclarecer essa demanda, o presidente da Autarquia Municipal de Abastecimento (AMA), Britoaldo Alves Bessa destacou que essa mudança tem que haver responsabilidade. “Até o momento não temos projetos para essa mudança, se faz necessário, mas tem que ser com muita responsabilidade para que seja a altura do que temos hoje, pois Juazeiro tem o maior entreposto do Norte Nordeste e o quarto maior do Brasil (…), aqui são 1.350 permissionários que comercializam hortifrutigranjeiros no local”.

Conforme o gestor do Mercado do Produtor, a população faz críticas destrutivas, podendo participar com críticas construtivas apontando soluções para o município. Ele ainda respondeu a questionamentos sobre projetos e mudanças na nova gestão.

“A atual prefeita, Suzana Ramos trabalha com muita responsabilidade, transparência e honestidade, no momento que tivemos projetos de viabilidade para discutir essa mudança estaremos abertos (…), não temos conversas tortas. Para essa mudança de local depende de projeto, toda mudança tem consequências devidas, Juazeiro e Petrolina dependem desse entreposto comercial, então para haver uma mudança é preciso muito responsabilidade [reforçou]. A iniciativa para isso, é de todo um conjunto de ações, como a Iniciativa Privada com uma participação dentro dos órgãos governamentais”, esclareceu Bessa.

Medidas adotadas como melhorias de execução na gestão:

“Quando entramos no Mercado, presenciamos um verdadeiro descaso. O Mercado está sucateado há mais de 12 anos. Hoje, temos uma responsabilidade muito grande, temos um projeto para melhorar a vivência de permissionários com muita responsabilidade, mas temos, acima de tudo, interesse em injetar recursos, melhorar esse sistema tão precário em mobilidade, infraestrutura e limpeza que é sempre um maior problema. Vamos atuar com melhorias que não acontecem da noite para o dia. Temos um pouco mais de 30 dias à frente dessa gestão, já fizemos bastante e faremos muito mais, reitero com responsabilidade”, concluiu o diretor da AMA, Britoaldo.

Compartilhe:

Ouça nosso podcast: