Osinaldo minimiza discurso de Osório e diz que saída da Câmara não tem relação com votação das contas de ex-prefeitos

0
243

“Estou muito bem e muito tranquilo”. Foram essas palavras utilizadas pelo suplente de vereador, Osinaldo Souza, antes mesmo de comentar sua saída da Câmara de Petrolina, com o retorno do vereador Edilson Leite (Edilsão do Trânsito). Souza afirmou, em entrevista ao Nossa Voz de hoje (15) que foi comunicado previamente pelo parlamentar que alegou a necessidade de votar alguns projetos que contaram com sua colaboração.

“Eu só agradeço porque na verdade ele é o titular do mandato”, declarou Osinaldo.

Questionado se não estranhou a saída da Câmara em meio a votação das contas dos ex-prefeitos Odacy e Júlio Lossio e o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, ele nega. Osinaldo era secretário da Comissão de Finanças e Orçamento, grupo responsável pelo parecer relativo aos exercícios financeiros dos gestores já citados.

“Eu não estranhei, até acompanhei o voto do relator, o vereador Josivaldo Barros, acompanhando sim o parecer técnico do Tribunal de Contas do nosso Estado. Logicamente, várias contas foram aprovadas com ressalvas, mas mesmo assim resolvemos acatar o parecer pela aprovação com ressalvas do TCE. Então, não vejo qualquer vinculação em termo da votação dessas contas dos ex-prefeitos e do prefeito atual , até porque o meu parecer  foi favorável naquele devido momento. Logicamente fiz alguns questionamentos, mas acompanhando o voto do relator”.

Apesar de assumir ter feito alguns questionamentos relativos à aprovação das contas, o suplente nega que isso teria motivado a sua substituição. “Não existe problema nenhum, era apenas esclarecimentos em termo de comissão, mas tudo ficou bem esclarecido e a comissão votou unânime, ontem a casa também votou unânime e foi tudo tranquilo”.

Sobre o discurso feito pelo presidente da referida comissão, Osório Siqueira, apontando o vazamento do conteúdo das reuniões feitas na Casa, Osinaldo saiu pela tangente. “Eu ouvi, brevemente, alguns relatos sobre o assunto, mas em qualquer parlamento sempre teremos algumas divergências como também algumas pessoas tentando contribuir ou atrapalhar, não sei  bem. Mas isso é normal da política, principalmente do parlamento, que é uma casa que sempre debate os grandes assuntos da sociedade”.

Cargo na gestão

Ao falar sobre seu destino político após a saída da Câmara, Osinaldo Souza confirma a permanência no grupo de Miguel Coelho. Entretanto, não deixou claro se assumiria um cargo na gestão municipal. “Sou servidor público federal, para assumir algum outro cargo, se não for na própria união eu tenho que pedir afastamento do meu cargo e isso demora bastante tempo porque o processo tem que tramitar até Brasília.  Logicamente, somos aliados da gestão Miguel Coelho (…), fui convidado para assumir um cargo na gestão, mas estou simplesmente aguardando a questão, analisando para ver se é viável ou não, ter que se licenciar do INSS”.

Apesar da incerteza sobre o ingresso na equipe da administração municipal, ele descarta a possibilidade de disputar novamente uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco. “Não tenho qualquer interesse em disputar uma cadeira na Alepe, isso não é meu pensamento no momento. A não ser que o grupo Miguel Coelho me convidasse para colaborar com a eleição dele para governador. Mas por enquanto estamos alinhados sob o comando do senador Fernando Bezerra Coelho nesse projeto de eleger Miguel governador de Pernambuco e continuar colaborando com todo o grupo”.