“Não é fato isolado”, diz relato sobre alta de pacientes na UPA; confira nota da unidade

0
44
Foto: Reprodução

Hoje (22), o programa Nossa Voz relatou sobre o caso do desaparecimento da advogada Glória Micheline Lima Fonseca, de 48 anos de idade, [lembre aqui]. Após esse relato, Judeí Barbosa dos Santos, morador da rua Rio Pontal de Izacolândia (PE) desabafou ao vivo sobre o caso de seu vizinho. Conforme o comunitário, a UPA de Petrolina (PE) não tem respeito pelas famílias e nem pelos pacientes que tem surtos psicóticos ou que sofrem com algum tipo de transtorno.

“Deixo bem claro que esse não é um caso isolado que acontece na UPA de Petrolina, digo isso, porque aconteceu com meu vizinho, aqui na cidade há um mês atrás. Ele esteve internado na UPA, e a família só soube do desaparecimento dele depois que foram visitá-lo na unidade de saúde. Lá a família soube que o rapaz teve alta médica, mas ele não chegou em sua casa em Izacolândia. Nos reunimos, fizemos um boletim de ocorrência, fomos atrás dele, e o encontramos em Carnaíba do Sertão, saída de Juazeiro (BA). Eles dizem que informam a família, mas isso não acontece, ele teve um surto e liberaram ele, mas o que tomamos conhecimento é que o paciente nem teve alta. Encontramos ele, desorientado e a pé, isso é uma falta de respeito com a família e com o paciente”, desabafou o amigo que ajudou na localização do vizinho quer não teve sua identidade revelada.

A Unidade de Pronto Atendimento e de Atenção Especializada de Petrolina (UPAE) emitiu nota de esclarecimento, veja na íntegra.

Com relação à denúncia do ouvinte Judeí Barbosa dos Santos, rua Rio Pontal em Izacolândia (PE) UPA informa que dispõe de uma Ouvidoria para sugestões, esclarecimentos, queixas e elogios. O setor funciona de segunda a sexta, das 7 às 17h, presencialmente na unidade ou pelo telefone (87) 3866-6615″.