Gaturiano expõe possível perseguição da Secretaria de Agricultura às suas bases eleitorais: “Estão com dor de cotovelo”

0
1068

Depois do desabafo do vereador Alex de Jesus na semana passada, na sessão desta terça-feira (14) foi a vez do vereador Gaturiano Cigano externar sua insatisfação com membros da equipe do prefeito, Miguel Coelho, de quem são aliados. Através de uma indicação, Gaturiano solicitou o abastecimento de água a comunidades da zona rural de Petrolina, cujo o sofrimento já teria chegado ao fim se o secretário de agricultura,Gilberto Melo, houvesse viabilizado a instalação de uma adutora, cujo material já foi entregue mas está se deteriorando ao sol. 

“Estou aqui solicitando ao prefeito, Miguel Coelho, e à Secretaria de Agricultura, através do secretário, Gilberto Melo, no sentido de realizar o abastecimento de água com carro pipa para as comunidades do Assentamento Nova Vida, Federação e Manga Nova. Uma região muito sofrida, pouco assistida na verdade, na questão de estradas, abastecimento de água”, solicitou. 

Segundo o parlamentar, o material foi destinado pelo deputado Fernando Filho no ano passado, porém ainda não foi instalado, o que causa estranheza ao vereador. “Eu quero fazer justiça ao nosso deputado federal, Fernando Filho, que destinou 3,5 km de encanação para fazer adutora daquela região, mas por incrível que pareça, os canos estão lá há um ano e três meses no sol quente, se perdendo. E aqui peço que o secretário, Gilberto Melo, providencie essa adutora porque em vários lugares já receberam essa encanação muito antes e já foram realizadas as adutoras, enfim, e esses canos estão lá se perdendo. A gente tem que ter muito respeito com o erário, então peço aqui encarecidamente ao secretário Gilberto Melo que venha atender essa nossa reivindicação”. 

Outro motivo de insatisfação foi a exclusão de uma liderança comunitária do cerimonial de entrega de caixas d’água. De acordo com Gaturiano, por divergências anteriores com a equipe de Gilberto Melo, o presidente da associação onde acontecia o evento não pode discursar para sua comunidade. “Final de semana foi realizado um evento lá no Icó de Né Gomes, com a presença do nosso senador, deputado estadual, prefeito, secretários, para a entrega de caixas e abastecimento de carros-pipa, (…) e eu fiquei muito triste, por alguns acontecimentos, algum tipo de perseguição. Espero que não seja isso, até porque vou tratar com o próprio secretário, Gilberto Melo. O presidente daquela associação é ligado a mim e ele ligou para mim para ceder o espaço. Eu pedi a ele que fizesse isso porque somos um grupo e estamos muito bem alinhados para isso. Mas por incrível que pareça, o próprio presidente não foi convidado para falar naquele evento de grande importância que estava acontecendo na localidade dele, onde ele é presidente, por causa de divergências. Não do secretário, mas sim de pessoas que acompanham o secretário, que tinham divergência com esse líder comunitário. Isso me deixou triste”. 

Desconfiado da exclusão das suas bases na lista de ações da Secretaria de Agricultura, Gaturiano desabafou. “Vejam só, os canos que estão há um ano e três meses secando no sol. O secretário já esteve lá e disse que infelizmente não tem a máquina para enterrar os canos, mas a gente sabe que tem porque em outras comunidades já foi feito isso. Um líder comunitário que foi proibido de falar, que não foi nem convidado na sua própria associação. Eu espero que isso não seja perseguição ao meu povo porque votou em mim. É isso que eu espero do secretário e do prefeito”. 

Ao finalizar, o vereador mandou um recado. “Tenho certeza de que muita coisa que acontece o prefeito não sabe. E se tem uma coisa que esse macho aqui não faz é babar ninguém, nenhum político. E só tem dois homens que eu babo que são meu pai e meu filho, mas outro não. Não tenho rabo preso com ninguém e aqui vou fazendo minha política. Estão com dor de cotovelo porque ficaram atrás de mim, na próxima campanha vai ficar de novo, podem ter certeza disso. Peço ao secretário que atenda ao pedido e aos anseios dessa comunidade. E se houver perseguição pode ter certeza que a gente sabe resolver isso”.