Curaçá: Filhotes de arararinhas nascem após 21 anos de espécie ser considerada extinta

(Foto: Reprodução / TV São Francisco)

Dois filhotes de ararinhas-azuis nasceram em um cativeiro em Curaçá, no Sertão do São Francisco. O que chama a atenção é que o fato de o nascimento das aves ocorrer 21 anos depois de a espécie ser considerada extinta no país. Segundo a TV São Francisco, os filhotes foram reproduzidas por trabalho feito por técnicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e uma ONG alemã que atua em prol da causa animal.

Com os dois casos, esta é a terceira ave reproduzida em cativeiro na região. No mês de abril outro filhote tinha nascido na caatinga baiana, mas morreu. Dois dias depois, mais uma ararinha-azul nasceu. Desta vez, os técnicos retiraram o filhote do ninho e seguem em cuidados com o animal.

Os filhotes nasceram nos dias 6 e 9 de junho. Por ser uma espécie frágil, os técnicos optaram em divulgar somente agora a notícia. Cinquenta e duas ararinhas-azuis foram trazidas para o Norte baiano pelo ICMBio e pela ONG alemã.

Compartilhe:

Ouça nosso podcast: